Jornalista está sendo processado por denunciar torturas

O autor do processo é um ex-tenente citado pelo BNM e CNV O jornalista Aluízio Palmar está sendo processado por ter noticiado torturas ocorridas em 1969, no então 1º Batalhão de Fronteiras, localizado em Foz do Iguaçu, Paraná.O autor do processo é o ex-tenente Mario Espedito Ostrovski, que é citado como torturador no livro Brasil Nunca Mais e no Relatório Final da Comissão Nacional da Verdade. As primeiras notícias sobre astorturas praticadas por Ostrovski,ocorreram em1985, quando veio à público o relatório do projeto BNM, coordenado pelo Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, pelo Rabino Henry Sobele pelo Pastor presbiteriano Jaime Wright.

Na época, a Nação ficou chocada ao tomarconhecimento dos casos de torturas praticados pelos agentes da ditadura militar. Um dos casos que mais impactoua opinião publica,foi o de Isabel Fávero, uma jovem professora de escola rural no interior do Paraná. Conta Isabel, que após sua prisão em 1969, ela e seu marido foram levados para o quartel do Exército , em Foz do Iguaçu e no local, o então tenente Espedito lhe aplicou choques elétricos nos mamilos, genitália e nas extremidades do corpo. Estava grávida de dois meses e devido às torturas, sofreuum aborto. A jovem professora revelou ainda que após o aborto, sangrou durante dias, sem possibilidade de fazer qualquer tipo de higiene.

Responder

Por favor, inicia sesión con uno de estos métodos para publicar tu comentario:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios .

A %d blogueros les gusta esto: